quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Bilhete premiado: Polícia indicia trio acusado de dar golpe de mais de R$ 100 mil




Gabriela Barcellos

O delegado Enio Tassi, da 1ª Delegacia de Polícia de Uruguaiana indiciou ontem, 28/9, Jonathan Moraes Corrêa, Juliane Rodrigues Schleder e Tauana Domingues Riffel, por estelionato qualificado e associação criminosa. Jonathan e Juliane estão presos preventivamente, a pedido do Delegado, e são acusados de aplicar um golpe de mais de R$ 100 mil em uma idosa na metade do mês passado. Já Tauana responde em liberdade.
O crime chegou ao conhecimento da polícia no dia 17 de agosto, registrado pela vítima, uma senhora de 89 anos. Ela contou que foi abordada na rua por uma moça que contou ter um bilhete premiado de R$ 1,6 milhão. Para liberar o prêmio, porém, precisava depositar um valor e pediu a vítima que lhe ajudasse, em troca de parte do prêmio. A vítima então lhe entregou cerca de R$ 1,2 mil, R$ 400 que tinha em mãos e R$ 800 sacados. Por fim, como estes queriam garantias para deixar com a vítima o bilhete premiado, ela os levou até sua casa, na Rua Tiradentes, e lhes entregou várias joias, avaliadas em R$ 100 mil.
Ao longo da investigação, totalmente realizada pela 1ª DP, a vítima reconheceu os dois acusados. Inicialmente, Jonathan teve a prisão solicitada e deferida pela juíza Cristiana Machado, da 2ª Vara Criminal de Uruguaiana. A Polícia Civil de Uruguaiana então acionou a Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (Defrec) de Passo Fundo, visto que informações davam conta de que o acusado estava naquele município. Ele foi capturado no último dia nove, três dias depois de ser solto da prisão onde estava recolhido por outro crime.
Durante o cumprimento do mandado de prisão contra Jonathan, a Defrec de Passo Fundo deteve Tauana, namorada do rapaz, com algumas das joias. O material foi apreendido, mas a moça foi liberada pelo delegado Adroaldo Schenkel, que cumpriu o mandado. Apesar de não ter sido presa em flagrante na ocasião, indícios da participação de Tauana surgiram ao longo da investigação.
Também após a prisão de Jonathan foram encontradas evidências da participação de Juliane no crime. O Delegado então solicitou ao Poder Judiciário a prorrogação do inquérito policial que apura o crime e a prisão preventiva da moça. Juliane foi presa na última sexta-feira, 23/9, quando saía de um salão de beleza, também em Passo Fundo, e também por uma equipe da Defrec daquele município.
Na tarde de ontem, a vítima esteve na Delegacia de Polícia, prestou depoimento e reconheceu as joias apreendidas, que já foram restituídas.
Para o Delegado, a ação do trio não é isolada e eles integram uma bem estruturada quadrilha especializada neste tipo de crime, com atuação em todo o Estado. Outras vítimas já estão procurando a polícia e deverão ser chamadas para realizar o reconhecimento dos acusados.

0 comentários: