quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Casal gera tumulto na Delegacia

Uma situação de suposta violência doméstica tumultuou a Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) na madrugada de domingo, por volta de 5h30min. Um casal, que mantém um relacionamento casual foi parar na DP, um acusando o outro de agressão.
Inicialmente, a mulher, Ana Carolina Gemelli Pereira, ligou para a polícia pedindo socorro, pois o companheiro estaria tentando matá-la. Como todas as viaturas da Brigada estavam empenhadas em outra ocorrência, dois policiais civis, de plantão, foram ao local apontado pela mulher. Enquanto isso, o suposto agressor compareceu à Delegacia de Polícia, acompanhado de advogada e com visíveis machucados.
Ao delegado Enio Tassi, de plantão naquela noite, Daniel Henrique Gregório Maria contou que teve alguns encontros casuais com a moça e que na ocasião ligou para ela com o objetivo de se encontraram e foi busca-la. No local, a viu em outro veículo, acompanhada, mas a moça imediatamente veio para seu carro, e saíram do local. A caminho da casa de Daniel, ele a questionou sobre o fato de ela estar saindo com outros homens, o que teria a deixado furiosa. Ela então teria partido para cima de Daniel e lhe agredido com arranhões e chutes, além de ter danificado seu carro, e imediatamente ligou para a polícia pedindo socorro.
Já Ana Carolina, levada à DPPA pelos policiais civis, contou que teve um relacionamento de cerca de um mês com Daniel e que estavam separados há um dia. Contou que o homem lhe ligou e que acreditou que poderiam fazer as pazes. No entanto, quando Daniel chegou ao local onde ela estava com ‘outros amigos’, passou a acusá-la e agredi-la verbal e fisicamente, tendo inclusive lhe arrastado pelos cabelos e que a trancou dentro de seu prédio. Ela também o acusou de ter roubado seu telefone celular, informação que não se confirmou, visto que o aparelho foi encontrado dentro da viatura da Polícia Civil, depois de ter caído do bolso da moça.
Após ouvir as versões, Tassi determinou o registro de ocorrências de lesão corporal, o que deixou a mulher – que não apresentava lesões visíveis – exaltada, já que o ‘ex’, não seria preso em flagrante. As discussões na DP se seguiram até o casal registrar as respectivas ocorrências, um contra o outro, e deixar a Delegacia.
Gabriela Barcellos

0 comentários: